Sobradinho, no DF, pede ‘urgência’ para posto de vacinação contra febre amarela

0
358

Administrador afirma que Sobradinho II é área de risco por ser ‘cercada por matas’ e por ‘alta densidade demográfica’. Secretaria de Saúde diz que ‘não há surto’.

A administração regional de Sobradinho II, no Distrito Federal, pediu terça-feira (23) que a Secretaria de Saúde instale, “em caráter de urgência”, um posto avançado de vacinação contra a febre amarela.

Esta é a primeira região administrativa que faz a solicitação. Em resposta, a pasta informou ao G1 que “não há surto de febre amarela no DF”.

Já para o administrador, Charles Magalhães, a região é uma área de risco por estar “cercada por matas nativas e reservas ambientais, com a presença de animais silvestres” e ter “alta” densidade demográfica, com cerca de 71 mil moradores.

A região tem quatro unidades básicas de saúde e dois postos de saúde rural, todos na Fercal, segundo informações no site da secretaria. A pasta informa que somente quem nunca tomou a vacina deve buscar a imunização.

“Com apenas uma única dose da vacina o paciente fica imunizado para o resto da vida.”

Casos suspeitos

 Até terça, a secretaria investigava 12 casos suspeitos de contaminação por febre amarela. Há uma semana, eram apenas cinco. Um deles é o do vigilante Eronde Silva, de 58 anos, morto há 11 dias em um hospital de Ceilândia.

De acordo com a pasta, ainda não há confirmação da doença em qualquer um destes casos. Em dois deles, a hipótese é que seja leptospirose.

Macacos também foram encontrados mortos no Entorno do DF por possível contaminação pela febre amarela. Segundo a Saúde, foram registradas seis casos e “todos estão sendo investigados”.

No ano passado, foram investigados 86 casos suspeitos de febre amarela em moradores do DF. Destes, 83 foram descartados. Das confirmações, apenas uma pessoa morava em Brasília.

Vacina

O governo local orienta que as pessoas tomem a vacina apenas uma vez ao longo da vida. Para as crianças, a dose é aplicada aos 9 meses – sem a necessidade do reforço aos 4 anos, como antes. A dose demora cerca de dez dias para garantir a imunização após a primeira aplicação.

Segundo a Secretaria de Saúde, de janeiro a novembro de 2017, foram aplicadas 207.581 doses da vacina. Os dados de dezembro e de janeiro de 2018 ainda estão sendo compilados.

A pasta informou, ainda, que “todas as salas de vacina do DF estão abastecidas”. Como as doses são compradas e distribuídas pelo Ministério da Saúde, é o próprio órgão federal que faz a reposição quando há queda no estoque.

Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here