Temer parabeniza Macri por aprovação da reforma da Previdência na Argentina

0
126
Brazilian President Michel Temer (L), gestures next to his Argentinian counterpart Mauricio Macri, during the 51st Summit of Heads of State of Mercosur and Associated States at Itamaraty Palace, in Brasilia on December 21, 2017. The presidents of Mercosur celebrate in Brasilia their six-monthly summit, committed to confronting the protectionist outbursts with commercial openness. / AFP / EVARISTO SA

Ao mencionar o Brasil, Temer destacou os esforços do país em promover as reformas, como a da Previdência, para impulsionar a economia

O presidente da República, Michel Temer, parabenizou o presidente da Argentina, Mauricio Macri, pela aprovação da reforma da Previdência no país vizinho. Na abertura da 51ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercado Comum do Sul (Mercosul), o peemedebista destacou que o bloco está cada vez mais forte e promovendo amplo esforço de modernização das economias sul-americanas.

Ao mencionar o Brasil, Temer destacou os esforços do país em promover as reformas, como a da Previdência, para impulsionar a economia. “Aqui, estamos fazendo muitas reformas e até aproveito com uma das reformas a serem levadas adiante é a da Previdência. Quero cumprimentar a Argentina, por meio de Macri, que conseguiu expressiva vitória em torno da reforma da Previdência em seu país”, disse.

 

Para Temer, a agenda de reformas promovida por Brasil e Argentina expressam uma agenda de trabalho “muito bem definida”, que busca atender os “anseios” da sociedade por mais emprego, renda, e bem estar. “Estou certo de que prosseguiremos neste rumo”, declarou.

Embora façam parte dos ajustes fiscais promovidos pelos respectivos governos, a reforma da Previdência aprovada na Argentina é diferente da que Temer busca aprovar no Brasil. No país vizinho, o texto admitido por 127 votos a favor e 117 contrários estabelece que reajustes dos valores pagos a aposentados e pensionistas sejam corrigidos trimestralmente por índices de inflação. Antes, os pagamentos eram ajustados por um índice semestral que combinava correções salariais e de arrecadação.

A reforma da Previdência em discussão no Brasil prevê a equiparação do teto de aposentadoria, de R$ 5,3 mil, para servidores públicos e trabalhadores do setor privado. O texto ainda prevê tempo mínimo de contribuição de 15 anos para trabalhadores do setor privado, e de 25 anos para servidores públicos. Além de uma regra de transição de 20 anos, para que a idade para aposentadoria, atualmente, em 52 anos para mulheres, e 55 anos para homens, alcance o patamar de 62 e 65 anos, respectivamente.

Fonte: Correio Brasiliense

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here