Usuários do transporte público foram surpreendidos na manhã desta segunda-feira (7/5) com uma paralisação relâmpago da empresa de ônibus Urbi. Os coletivos não saíram das garagens no Recanto das Emas, Riacho Fundo, Samambaia, Taguatinga e Núcleo Bandeirante.

0
15

Usuários do transporte público foram surpreendidos na manhã desta segunda-feira (7/5) com uma paralisação relâmpago da empresa de ônibus Urbi. Os coletivos não saíram das garagens no Recanto das Emas, Riacho Fundo, Samambaia, Taguatinga e Núcleo Bandeirante.

O movimento ocorreu às 4h e, por volta das 6h30, os coletivos voltaram a rodar.

Em nota, a Urbi explicou que o motivo da paralisação foi o atraso do pagamento do plano de saúde dos funcionários, ocasionado pela situação de inadimplência do GDF junto à empresa, que ultrapassaria a quantia de R$ 35 milhões, montante acumulado nos anos de 2015, 2016, 2017 e 2018.

Acionamos o Transporte Urbano do DF (DFTrans) sobre a paralisação. Em nota, o órgão informou que na última quinta (3) fez um repasse de R$ 3,9 milhões à empresa Urbi, referente aos subsídios/gratuidades (Estudantil e Pessoas com Deficiência) e complemento tarifário.

“Já o repasse dos valores de Vale-Transporte e Cidadão é feito diariamente e está em dia. A autarquia esclarece, ainda, que a dívida total referente aos Exercícios Anteriores, de 2015 a 2017, com a Urbi era de R$ 29,8 milhões, sendo que R$ 15 milhões dessa dívida foram pagos em 2018”, explicou.

Fonte: Metrópoles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here